10 setembro de 2022 | 21h30

de Ricardo Vaz Trindade

 

O que veem as nuvens é um espetáculo para uma plateia deitada a olhar para cima, num mecanismo semelhante a um cinema vertical, com os corpos deliberadamente dispostos em posição de descanso, sono e sonho.
Olhamos para as nuvens, adivinhamos-lhes as formas e as intenções, para depois sermos nuvens e adivinharmos o que elas veem em nós.
É, portanto, um gesto de reflexo: olhar para cima, para depois olhar para baixo, para trás e para dentro, e tentar uma leitura do mundo a partir de um ponto de vista necessariamente holístico, de cima e de longe, onde os indivíduos só se distinguem pela sua sombra.
As vozes de seis dramaturgos tentam encontrar palavras para este espanto indizível de ver tudo em simultâneo, relacionando-se com a ideia de infinito e desdobrando-se em debates ontológicos,poéticas incorpóreas e eco-traumas.
Em palco, dois intérpretes conduzem uma viagem sensorial que não se esgota na fruição estética ou intelectual.
De facto, o corpo é enganado: é convocado para uma insónia consciente, adormece acordado e acorda adormecido ao fim de uma hora de viagem pelas nuvens.

 

:::::::

 

Ficha Artística
Direção Artística: Ricardo Vaz Trindade
Dramaturgia: Joana Bértholo, Keli Freitas, Lígia Soares, Nuno Camarneiro,
Ricardo Vaz Trindade, Rui Pina Coelho
Interpretação: Cláudia Gaiolas, Ricardo Vaz Trindade
Realização de Vídeo: João Vladimiro
Consultoria de Vídeo: Paulo Américo da Silva
Música: Luís Fernandes
Desenho de Luz: Cristóvão Cunha
Espaço Cénico: Ricardo Vaz Trindade
Produção Executiva: Maria Tsukamoto, Ricardo Vaz Trindade
Financiamento: República Portuguesa, Direção-Geral das Artes
Apoios: Companhia Olga Roriz, Francisco Figueiredo – Fotografia, Município
de Torres Vedras, Teatro Académico de Gil Vicente, Teatro Nacional D. Maria
II,Temps d’Images, Terratreme
Residência de Co-Produção: Inestética Companhia Teatral, O Espaço do Tempo
Colaboração Vídeo: Ana Félix, António Correia, @africabees, @beyev.society, @ciap_dron, @droneyboi, @gergana.vlaykova, @gp7775, @outdoormoods, @robertneumannfromthesky, @travel_hunterz, O Mar É a Nossa Terra (Miguel Figueira e Filipe Madeira, 2020, © Garagem Sul/C.C.B.)
Agradecimentos: Diogo Vasconcelos, Edite Queiroz, Eduardo Brito, Eng.ª Ana Silva, Engº. Eduardo Pardal, Gesamb – Gestão Ambiental e de Resíduos, Granialpa – Extração e Comércio de Granitos, Joana Brites, Joana Gama, Magda Bizarro, Rita Morais, Tânia Guerreiro

 

:::::::

 

Público geral | 5€ | M/6

Outros Espetáculos
Teatro O que veem as nuvens
11 setembro de 2022
Teatro A Ratoeira
17 setembro de 2022
Centro Cultural Gonçalves Sapinho